Professores vão escolher aula em fevereiro

Jornal Agora-30-01-2010- página A/12

Reportagem de Livia W. Junqueira e Amanda Mont’Alvão

Entrevistada: Profa. Maria Lúcia de Almeida – vice-presidente do CPP

Fonte: CPP (Centro do Professorado Paulista)

Efetivos selecionam classes antes de temporários e novatos; escolha deve ser feita na escola ou na diretoria de ensino responsável

Os 220 mil professores efetivos e temporários da rede estadual devem separar a primeira e a segunda semanas de fevereiro para escolher aulas, classes e jornada de trabalho. Entre os dias 3 e 10 do mês que vem, os docentes deverão comparecer nas escolas onde dão aula ou nas diretorias de ensino correspondentes para escolher os detalhes do ano letivo. As datas foram publicadas na quinta no “Diário Oficial” do Estado.

Os titulares têm direito de escolher antes dos temporários não concursados ou mesmo dos novos profissionais que queiram começar na área. A ordem de classificação é calculada pelo tempo de serviço na rede estadual e pelos títulos do candidato.

Só os 93 mil temporários que tiraram nota acima de cinco na prova de valorização por mérito – feita em 13 e 20 de dezembro – poderão trabalhar na rede. Cerca de 181 mil candidatos fizeram a avaliação – 48% deles foram reprovados. Segundo Maria Lúcia de Almeida, vice-presidente do CPP (Centro do Professorado Paulista), a entidade não é contra a avaliação, mas contra os critérios da prova. “Não é analisada a prática dos professores”, afirmou.

A nota final dos professores temporários foi definida pela soma da nota da prova (80 pontos), do tempo de serviço (80 pontos) e dos títulos (20 pontos). Cerca de 60 professores tiraram nota zero.

Caso haja falta de temporários, a rede estadual poderá chamar aqueles que não obtiveram a nota mínima, mas tiveram as melhores pontuações abaixo da média pedida. Caso esses professores queiram continuar na rede estadual em 2011, terão de fazer outra prova de conhecimentos no final deste ano.

Essa foi a primeira vez que os temporários da rede foram selecionados por meio de prova, que agora é obrigatória. O sistema de avaliação deveria ter sido implantado em 2008, mas denúncias de irregularidades e uma liminar (decisão provisória da Justiça) suspenderam seu uso.

Os professores que têm estabilidade garantia (Lei da SPPrev) e foram reprovados terão jornada de 12 horas semanais, em funções auxiliares – fora da sala de aula.

Cerca de 13 mil temporários atuaram na rede estadual de ensino no ano passado. A Secretaria de Estado da Educação, no entanto, estima que a necessidade de professores não concursados caia nas escolas porque foram instituídas jornadas de 40 e de 12 horas semanais de trabalho. Assim, alguns professores trabalharão mais durante a semana e outros serão contratados para matérias que exigem menor carga horária – o que era difícil de ser preenchido com os antigos titulares.

Como é a escolha: Professores estaduais do ensino infantil, fundamental, médio e da educação especial devem se programar; A agenda para atribuição de atividades foi divulgada; No início de fevereiro, serão aceitos pedidos para composição, ampliação de jornada e atribuição de classes.

Temporários: Os temporários só podem escolher seus horários e locais de trabalho após os efetivos; A atribuição das atividades só será possível para professores temporários que tiraram, no mínimo, cinco na prova de valorização pelo mérito; As provas foram feitas nos dias 13 e 20 de dezembro; A diretoria de ensino deve ser vinculada com a escola do professor.

Calendário (fevereiro de 2010)

3- Período da manhã: Definição da jornada para professores titulares e removidos (que mudaram de escola) – local: na própria escola .

3 – Período da tarde: Constituição de jornada para professores titulares e excedentes não atendidos na escola ; local: na diretoria de ensino.

4 – Período da manhã: Ampliação de jornada para professores titulares – local: na própria escola.

4 – Período da tarde: Ampliação de jornada para professores titulares não atendidos na escola; local: na diretoria de ensino.

5 – Período da manhã: Carga suplementar (trabalho em outra escola) para professores titulares; local: na própria escola.

5 – Período da tarde: Carga suplementar para professores titulares não atendidos na escola – local: na diretoria de ensino.

6 – Período da manhã: Escolha de todas as atribuições para professores efetivos que queiram trocar de escola, incluindo celetistas e estáveis pela Constituição de 1988; local: na diretoria.

10 – Período da manhã: Composição de jornada e/ou de carga suplementar e aumento da carga horária para titulares da educação especial que sejam estáveis ou celetistas; local: na própria escola.

10 – Período da tarde: Definição de jornada e/ou de carga suplementar e aumento da carga horária para titulares da educação especial que sejam estáveis, celetistas e não atendido na escola; local: na diretoria de ensino.

Atenção: Nos dias 8 e 9 serão aceitas todas as atribuições para professores não concursados ou novos na rede. O horário ainda será definido por cada diretoria de ensino, onde as escolhas devem ser feitas.

Anúncios

2 respostas para Professores vão escolher aula em fevereiro

    • zemariacpp disse:

      Prezado colega,
      O seu comentário é muito bem vindo.
      Esse espaço estará sempre aberto para receber a
      sua importante participação.
      Um abraço,
      Professor Zé Maria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: